Seguidores

domingo, 20 de novembro de 2011

Os Sinais de Deus.


- Os Sinais de Deus.

E sucederá que, se eles não te crerem, nem atentarem para o primeiro sinal, crerão ao segundo sinal. Êxodo 4:8.

No princípio Deus falava face a face com o homem. No entanto, o pecado fez separação entre nosso Pai e seus filhos. Uma das consequências mais trágicas do pecado foi a interrupção daquela comunicação direta entre Deus e o homem. Nosso Pai de amor, no entanto, nunca desistiu de se comunicar conosco. Ele continuou usando muitas formas para mostrar sua vontade e orientar seu povo. A Palavra de Deus é uma das formas usadas por Ele para expressar Sua vontade e Suas orientações.

O verso de hoje fala sobre os sinais dados por Deus para despertar nossa fé. Há muitas pessoas cuja fé é fraca por falta de oração, falta de estudo da Bíblia, falta de interesse em ir à igreja. Há pessoas que, como os egípcios e outros povos pagãos da antiguidade, sequer consideram devotar tempo para conhecer e cultuar o Deus verdadeiro. A estes o Deus de amor também envia seus profetas e sinais de seu poder e amor.

Deus enviou sinais miraculosos sobre o Egito, sinais que mostravam claramente um poder superior. No entanto, Faraó, rei do Egito, não se submeteu ao Deus de Israel. Endureceu seu coração e fechou os olhos para os sinais que Deus em sua misericórdia ofertou a Israel e ao Egito. Deus não mandou apenas um sinal, mas vários sinais e também as pragas que foram sinais mais fortes.

Quem despreza os sinais de Deus sofre grande prejuízo. Oremos para que Deus enterneça nosso coração de modo que nos tornemos sensíveis para perceber os seus sinais.

COM AMOR, JESUS CRISTO!



sábado, 19 de novembro de 2011

joycinha

<a href="http://www.cliquemidia.com/622192"_blank"><img src="http://i.imgur.com/2Ccvi.gif" alt='Create your own banner at mybannermaker.com!' border=0 />ha a Você tem um site?

Cadastre-se como nosso parceiro e ganhe dinheiro
com nossos anunciantes.

Na Clique Mídia você escolhe as campanhas que vai rodar no seu site, e quanto vai ganhar com cada
anunciante, assim, você pode selecionar apenas as
campanhas que você considera mais interessantes AFILIE-SE

Injustiça e Fadiga.


- Injustiça e Fadiga.

Dizendo: Estes derradeiros trabalharam só uma hora, e tu os igualaste conosco, que suportamos a fadiga e a calma do dia. Mateus 20:12.
Em uma de Suas parábolas, Jesus nos ensina a diferença incompreensível entre justiça divina e nosso conceito humano de justiça. No final, Ele registra a queixa dos homens, diante do que eles interpretam como injustiça divina: “Estes derradeiros trabalharam só uma hora e tu os igualaste conosco, que suportamos a fadiga e a calma do dia.”

A injustiça é uma poderosa causa de fadiga. Quando não vemos a justiça nos amparando ficamos revoltados, explorados, cansados. “Afinal de contas, para que serve agir corretamente, ser honesto e sincero se, como prêmio, não conseguimos reconhecimento?”. Este tipo de reação é muito mais forte e deprimente, quando atribuímos ao Senhor a fonte da injustiça que nos machuca.

A Bíblia registra inumeráveis casos de humanos desgostosos com as “injustiças” de Deus. Por mais que busquemos explicações lógicas, porém, em quase todos os casos a explicação do Senhor é: “não há explicação; por mais que Eu explique, vocês não me entendem”.

Em resumo, o que Ele nos diz é: “gente, nunca se esqueçam de que Eu sou o Senhor do mundo e Senhor da justiça”. Ele é muito mais do que podemos assimilar. A justiça divina é mais do que distribuir julgamentos e punições.

É misericordiosa. É graciosa. É amorável. Somente quando sentimos na carne essas qualidades do Deus amor/justiça que nossa tensão desaparece e baixamos as armas na luta contra Ele. “Se estais cansados”, Eu vos aliviarei. É a única saída contra a injustiça e a fadiga.

COM AMOR, JESUS CRISTO!



sábado, 12 de novembro de 2011

ELE VEM SEM DEMORA



A Ascensão do Senhor

Lucas 24:50-53 - “Então, os levou para Betânia e, erguendo as mãos, os abençoou. Aconteceu que, enquanto os abençoava, ia-se retirando deles, sendo elevado para o céu. Então, eles, adorando-o, voltaram para Jerusalém, tomados de grande júbilo; e estavam sempre no templo, louvando a Deus.”
Atos 1:9-11 - “E, quando dizia isto, vendo-o eles, foi elevado às alturas, e uma nuvem o recebeu, ocultando-o a seus olhos. E, estando com os olhos fitos no céu, enquanto ele subia, eis que junto deles se puseram dois homens vestidos de branco. Os quais lhes disseram: Homens galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir.”

Jesus como Intercessor

A Bíblia não deixa dúvidas de que Jesus voltou para o Céu, para junto do Pai, cerca de 40 dias depois da ressurreição. Na carta aos Hebreus, capítulo 4, versículos 14 a 16, encontramos uma descrição do trabalho de Jesus no reino celestial: “Visto que temos um grande Sumo Sacerdote, Jesus, Filho de Deus, que penetrou nos céus, retenhamos firmemente a nossa confissão. Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém, um que como nós, em tudo foi tentado mas sem pecado, chegamos pois com confiança ao trono da graça para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno.” (Continue Lendo…)

A Ascensão de JesusPosted by 

Após a ressurreição de Jesus, os discípulos ficaram confusos, temerosos e um tanto desorientados. Se reuniram no Cenáculo, o mesmo aposento usado para a celebração da última páscoa. Ali, aguardavam as horas passarem para ver o que iria acontecer com eles. (Continue Lendo…)

A Ressurreição de Jesus

Desde o momento em que Jesus foi colocado no sepulcro de José, as horas se escoavam lentamente. No primeiro dia da semana, pouco antes do amanhecer, Cristo continuava prisioneiro em Seu estreito sepulcro. A grande pedra posta à entrada do túmulo estava em seu lugar, bem como o selo romano e a guarda sentinela. (Continue lendo)

O Sacrifício de Jes

Na carta de Paulo aos Gálatas, capítulo 6:7, lemos: “de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará.” A lei da semeadura e da colheita é uma lei universal que tem atravessado e permanecido ao longo da história humana. Existe desde o começo do mundo. Se Adão e Eva tivessem semeado obediência, confiança e fidelidade à Palavra de Deus, colheriam vida eterna. Se semeassem a desobediência e desconfiança, colheriam a morte.(Continue Lendo…)

O Perdão Divin

A mensagem do perdão é uma das mais lindas e atraentes na Palavra de Deus. No livro do profeta Isaías, 1:18, lemos: “Vinde e arrazoemos, diz o Senhor; ainda que os vossos pecados sejam como escarlata eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã.” (Continue Lendo)

Promessas de Libertação

Ao longo dos séculos que antecederam o nascimento do nosso Senhor Jesus, Deus enviou profetas para ensinar, advertir e conduzir Seu povo no caminho da verdade. (Continue Lendo)

O Cristo Crucificado

Com certeza você já ouviu muitos pregadores que declaram pregar a Cristo. Eles pregam, falam sobre Jesus, mas não o Cristo crucificado. Falam de Jesus como grande mestre, como filósofo e psicólogo. Mas não seguem o Salvador até a cruz. (Continue Lendo)

Luta entre o Bem e o Ma

“Porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e, sim, contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes” (Continue Lendo…)

Imagem e Semelhança de Deus

No relato bíblico da Criação nós encontramos um Deus operando com tal poder e perfeição que tudo o que veio à existência foi considerado muito bom. Entre as maravilhas que Deus criou está o ser humano. Na verdade o homem é a obra principal da criação. (Leia Mais…)

A Criação

“No princípio criou Deus os céus e a terra”. Estas são as primeiras palavras da Bíblia em Gênesis um, versículo um. O testemunho bíblico acerca da criação é farto e abundante. Desde o Gênesis, o livro dos começos, até o Apocalipse, encontramos expressões que destacam o poder criador de Deus. (Leia mais…)

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

- Ele Conhece Nossos Caminhos.

- Ele Conhece Nossos Caminhos. 
Porque o SENHOR conhece o caminho dos justos; porém o caminho dos ímpios perecerá. Salmos 1:6.

A Bíblia nos afirma duas coisas, em nossa jornada cristã. A primeira é o ódio do mundo por aqueles que procuram amar a Cristo. A segunda é a proclamação dos cuidados e da vitória de Deus, para os cristãos honestos e sinceros. Estes fiéis são chamados de “justos”, pelo Salmista. O cuidado divino para com “os justos” é semelhante à nuvem durante o dia e à coluna de fogo noturna, nas andanças dos judeus pelo deserto.

É preciso admitir que, em certas ocasiões, temos a impressão de estar praticamente entregues a nós mesmos. Não vemos nuvem, não vemos chama. Isto, sem falar da completa ausência dos nossos chamados “irmãos na fé”. Sabedor disso, o Senhor insiste em nos dizer que Ele sempre está conosco.

Uma das indicações da presença constante do Senhor é, exatamente, o fato de que Ele “conhece o caminho dos justos”. Não somente Ele conhece, Ele participa também dos nossos caminhos. Não há surpresas para Deus. Antes, durante e depois, o Senhor nos acompanha.

Ele nos adverte. Ele acena. Ele corrige. E Ele não se afasta de nós. Quer saibamos, quer não, Ele conhece nossos caminhos.

COM AMOR, JESUS CRISTO!



quinta-feira, 3 de novembro de 2011

JESUS E A OVELHA


 Infidelidade Humana, Fidelidade Divina.

Pois quê? Se alguns foram incrédulos, a sua incredulidade aniquilará a fidelidade de Deus? Romanos 3:3.

A resposta do próprio Paulo é enfática: “De maneira nenhuma!”. O pecado dos homens não tem a capacidade de anular os desígnios divinos. A graça divina é todo-poderosa e funciona de acordo com suas próprias leis. A simples ideia de que o Senhor “dependa” da nossa ajuda não encontra apoio na teologia paulina ou no ensino do contexto bíblico. Mesmo que os discípulos falhem, disse Jesus, “as pedras clamarão”.

Ser fiel a Deus não é necessidade divina. Ser fiel ao Senhor é a postura humana mais adequada para se beneficiar das bênçãos espirituais. O contexto bíblico não apoia o ensino de que nossas “orações fervorosas” obriguem o Senhor a fazer a nossa vontade. O impacto de nossas orações fervorosas deve ser levar-nos a imitar o clamor de Jesus, no Getsêmani: “Pai, se o quiseres, afasta de Mim este cálice; contudo, não seja feita a Minha vontade, mas a Tua”.

O Senhor sempre será fiel e sempre estará disposto a nos restaurar, mesmo quando O traímos. A grande obra de nossa fidelidade é o reconhecimento. Cultivar esta atitude é o que nos capacita a vivenciar a misericórdia divina, que está sempre disponível.

COMENTARIOS


Assinantes

Fãs

Seguidores

Artigos

Comentários

portal educaçao

Curso online de Perícias Criminais

comentario